Família é símbolo do logo do Divino 2016

19.10.15 - 14:45 | Notícias, Notícias da Associação, Notícias da Festa

Família é símbolo do logo do Divino 2016

Logo

Logo Festa do Divino Espírito Santo 2016

 

Imagem será impressa em todo o material de divulgação da festividade religiosa, que ocorrerá de 5 a 15 de maio

 

Com a temática “Divino Espírito Santo, derramai sobre as famílias a graça da Misericórdia” e um logotipo cuja família é representada junto às asas da pomba, símbolo do Espírito Santo, a Festa de 2016 quer manifestar ao povo a misericórdia de Deus perante a família, aproximando-os da fé. O tema e o logo foram apresentados na manhã desta sexta-feira (16/10), na Diocese de Mogi das Cruzes, pelo padre Thiago Cosmo da Silva, assessor eclesiástico da Festa do Divino, pelos festeiros Mônica de Sousa Mello e Sérgio Braz de Souza e os capitães de mastro Helena Kioko Mori Fujii e Ciro Fujii. O novo presidente da Associação Pró-Festa do Divino, Josmar Cassola, eleito para a gestão 2015-2017, também esteve presente no encontro. Em 2016 o evento ocorrerá de 5 a 15 de maio. O logo é uma criação do designer gráfico Fábio Santana, de 21 anos, da Comunidade Santa Teresinha, ligada à paróquia Nossa Senhora do Carmo, em Mogi.

O padre Thiago explicou que o ponto de partida para a criação do logo da festa – neste ano lançado com antecipação – é sempre a fé que os festeiros têm no Divino Espírito Santo, porque eles são devotos também. “O que o Espírito Santo fez na vida deles é apresentado no tema e no logotipo, e depois nós acolhemos as sugestões que a Igreja nos dá a respeito da fé. E a motivação desse ano é o chamado Ano Santo da Misericórdia que o Papa Francisco convida a toda a Igreja a celebrar a partir de 8 de dezembro de 2015, se estendendo o ano todo. Então vai contemplar o período da festa do Divino. Queremos colocar a festa nessa linha da misericórdia”, ressaltou o religioso.

O casal de festeiros reforçou que em 2016 o ênfase da Festa do Divino será a misericórdia: “Vamos manifestar ao povo a misericórdia de Deus perante a família. Com os capitães de mastro e com o padre, começamos a rascunhar a ideia para o logo, expressando o que queríamos para a nossa festa. E a família é algo que nos marca muito e expusemos a nossa vontade de tê-la no logotipo até chegarmos a esse lindo desenho. Os raios, que representam os dons do Espírito Santo, derramam a misericórdia de Deus sobre as famílias”.

Segundo o padre Thiago, a imagem mostra que a família está sendo carregada pelo Espírito Santo, em uma manifestação que mostra proteção e amparo às famílias. Esta não é a primeira vez que a família é destaque no logo, embora ela sempre tenha estado presente nos temas do evento. Em 2006, por sinal ano em que Sérgio e Mônica foram os capitães de mastro da festividade, ela já foi inserida no desenho oficial do evento.

Os capitães de mastro Ciro e Helena, por sua vez, explicaram o significado da frase “Divino Espírito Santo, derramai sobre as famílias a graça da Misericórdia”. “Esse tema foi escolhido porque o nosso objetivo era atender a um decreto do nosso Santo Papa, o Ano da Misericórdia a ser vivenciado em 2016, e que terá início em 8 de dezembro deste ano, no Dia da Imaculada Conceição. É importante que nós contemplemos essa misericórdia pelas famílias, porque a nossa festa é para as famílias. Por isso, nada mais que optássemos por um lema que enaltecesse a família”.

DSC02820

Padre Thiago (Diretor Espiritual), Sérgio e Mônica (Festeiros), Helena e Ciro (Capitães) e Josmar Cassola (Presidente Eleito Associação Pró Festa)

Sérgio e Mônica (Festeiros) e Helena e Ciro (Capitães)

Sérgio e Mônica (Festeiros) e Helena e Ciro (Capitães)

 

Padre Thiago (Diretor Espiritual), Sérgio e Mônica (Festeiros) e Helena e Ciro (Capitães)

Padre Thiago (Diretor Espiritual), Sérgio e Mônica (Festeiros) e Helena e Ciro (Capitães)

 

DSC02705

Sérgio e Mônica (Festeiros), Padre Thiago (Diretor Espiritual), Josmar Cassola (Presidente Eleito Associação Pró Festa) e Helena e Ciro (Capitães)

 

 

 

Maria Salas
AlexMar Assessoria de Comunicação 

Atividades pré-Festa do Divino acontecem desde agosto

19.10.15 - 12:48 | Notícias, Notícias da Associação, Notícias da Festa

Os preparativos para a Festa do Divino Espírito Santo de 2016 começaram nem bem a festa de 2015 terminou, em 24 de maio. A escolha dos casais de festeiros e capitães de mastro é o primeiro passo, conforme explicou o padre Thiago Cosmo da Silva, assessor eclesiástico da Festa do Divino. Além disso, os trabalhos da diretoria e de cada uma das 30 coordenações da Associação Pró-Festa do Divino são retomados nessa mesma época.

Oficialmente, a caminhada é iniciada com a reza da Coroa do Divino, promovida sempre no segundo sábado de cada mês. Ela vem ocorrendo desde agosto. A 3ª Coroa do Divino foi realizada no sábado passado (17), na Associação Pró-Festa do Divino, no Bairro do Mogilar. A próxima ocorrerá no dia 14 de novembro. A cada edição, há a participação de cerca de 250 devotos, que após a reza participam de um chá-bingo. “Essa é a primeira arrecadação material para a Festa do Divino. É uma tarde de ação beneficente em prol da festividade”, destacou o padre. A Coroa deste sábado vai ter uma homenagem a Nossa Senhora Aparecida, cuja data foi comemorada no último dia 12. Dentre os prêmios, destaque para os eletrodomésticos. Neste sábado, serão sorteados um ventilador e um liquidificador.

A novidade para a edição da Festa do Divino de 2016 é a antecipação dos trabalhos das rezadeiras. Elas, que normalmente começam a fazer as rezas nas residências das famílias que as solicitam a partir de janeiro, vão iniciar as visitas já a partir do próximo mês. “O envio oficial das rezadeiras ocorre em janeiro de 2016, como tem sido feito nos últimos anos, com um dia de retiro e depois a Missa Solene de Envio, na Catedral de Santana, mas essa antecipação se dá em atendimento aos muitos pedidos de rezas que nós recebemos”, disse o padre.

Em 2015, foram visitadas e evangelizadas mais de 35 mil pessoas. Atualmente, cerca de 80 pessoas, entre rezadeiras e auxiliares, integram a equipe de evangelização da Festa do Divino.

Acompanhe os próximos eventos aqui!

Maria Salas
AlexMar Assessoria de Comunicação 


Participe da 3ª Coroa do Divino neste sábado

15.10.15 - 9:51 | Notícias, Notícias da Associação

Participe da 3ª Coroa do Divino neste sábado dia 17/10/2015 às 15h na sede da Associação Pró Festa do Divino Espírito Santo.

Local: Av. Francisco Rodrigues Filho, 1132 • CEP 08773-380 • Mogilar • Mogi das Cruzes • SP

Acompanhe a programação!

FESTEIROS E CAPITÃES DE MASTRO SÃO ANUNCIADOS

04.06.15 - 11:02 | Notícias, Notícias da Associação, Notícias da Festa

festeiros2015a

Bispo diocesano anunciou os dois casais antes de dar início à missa de Corpus Christi, na Catedral de Santana; trabalhos começam já a partir da próxima semana.

A Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes de 2015 terminou há 11 dias, e os trabalhos para a festividade de 2016 já começaram. O bispo da Diocese de Mogi, dom Pedro Luiz Stringhini, anunciou, na manhã desta quinta-feira (4), os festeiros e capitães de mastro que vão comandar a festividade religiosa no ano que vem. A primeira reunião dos festeiros e capitães de mastro atuais com os ex-festeiros Célio Roberto da Cunha Mello e Maria Isabel da Silva Mello e os ex-capitães de mastro Marcelo e Sueli Braz ocorrerá na próxima semana, em data ainda a ser definida.

Caberá ao policial civil Sérgio Braz de Souza, de 55 anos, e à professora Mônica de Sousa Mello, de 51, estar à frente da Festa do Divino como festeiros. O posto de capitães de mastro em 2016 foi assumido pelo chefe de métodos e processos [aposentado] Ciro Fujii, de 57 anos, e a assistente administrativa Helena Kioko Mori Fujii, de 55. Esta é primeira vez em toda a história da Festa do Divino, em Mogi das Cruzes, que um casal da colônia japonesa assume a missão de auxiliar no evento religioso, considerado um dos mais importantes para a Igreja Católica. Os dois casais pertencem à Paróquia São Maximiliano Kolbe, na Vila Lavínia, e têm forte atuação na igreja.

Moradores da Vila São Sebastião, os novos festeiros são pais de Brayna, de 29, e Najila, de 25. Há 30 anos, Sérgio e Mônica integram a Equipe de Nossa Senhora de Guadalupe, movimento de casais que os ajuda a seguir em direção à santidade. “Para nós, assumir essa missão é uma bênção divina, uma grande aprovação pela qual vamos passar. Jamais imaginávamos que pudéssemos vir a ser os novos festeiros”, destacou o festeiro. Desde o início do mês, o casal começou a receber a visita do padre Thiago Cosmo, assessor eclesiástico da Festa do Divino, e que auxilia o bispo diocesano na escolha dos casais. Oficialmente, diz Mônica, o convite foi feito no último domingo (31). “É um grande desafio”, sintetiza Mônica.

Eles já atuaram na Festa do Divino, em 2006, ano em que foram capitães de mastro. Na ocasião, o casal de festeiros foi Horácio Cardoso da Silva e Rosângela Aparecida Almeida da Silva. “Mas isso foi há 10 anos. Hoje, a festa cresceu muito. A fé do povo é impressionante, mas a melhor recordação daquela época é o carinho dos devotos. Toda festa tem o seu brilho e nós não vamos deixar de fazer o grande e mais importante trabalho, que é o da evangelização.

O casal de capitães de mastro Ciro e Helena também integra um movimento de casais, o da Equipe de Nossa Senhora da Penha, há 14 anos. Eles são pais de Marcel, de 30, Caio, de 27, e Renan, de 22, e moram na Vila Lavínia. “É com muita alegria que recebemos essa importante missão que Deus nos deu, uma verdadeira demonstração de fé. Há 10 dias fomos procurados pelo padre Thiago e nos colocamos, prontamente, à disposição dele, da Igreja, do Divino Espírito Santo. Já conhecíamos os festeiros e sempre acompanhamos a festa, participando das novenas, alvoradas”, comenta Ciro. Para ele, o desafio está lançado, mas o maior deles é fazer com que a colônia japonesa participe mais da vida na Igreja Católica: “Com a festa, nós que somos descendentes de japoneses, queremos levar a evangelização para as colônias do Alto Tietê. E nós pretendemos fazer com que eles participem mais da igreja católica”.

O bispo diocesano ressalta que ele foi auxiliado na escolha dos festeiros e capitães de mastro pelo padre Thiago, ex-festeiros e ex-capitães de mastro e Associação Pró-Festa do Divino. “Escolhemos juntos esses dois casais, no meio de dez que tínhamos em mente. Há muitos que se prontificariam, mas nós nem imaginamos. A Festa do Divino se faz com muito gosto. Todos sabem que ela é trabalhosa, todos sabem que há de se fazer sacrifícios, e muitos querem estar à frente, porque estão dispostos a servir a Igreja e o povo”, salienta o bispo. Para ele, o fato de ter um casal descendente de japonês no comando da festa como capitão de mastro é interessante, tendo em vista que é a primeira vez que isso ocorre: “Isso é significativo e mostra que Mogi é multicultural”.

Maria Salas
Assessoria de Imprensa da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes de 2015

Festa do Divino doa 3,5 toneladas de alimentos a 11 entidades

04.06.15 - 7:58 | Notícias, Notícias da Associação, Notícias da Festa

Ação é realizada desde 1993 e visa a ajudar instituições beneficentes que não participam da quermesse da Festa do Divino Espírito Santo

A Associação Pró-Festa do Divino, festeiros e capitães de mastro da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes de 2015 fizeram a doação de três toneladas e meia de alimentos para 11 entidades assistenciais de Mogi das Cruzes, na tarde desta quarta-feira (3). Os mantimentos foram arrecadados por meio de doação, feita por alunos de escolas públicas e particulares da Cidade, que montam Subimpérios em louvor ao Espírito Santo. Os estudantes, por sua vez, ganharam um marca página e um colar do Divino. O evento contou, ainda, com a participação do presidente da Associação, Leonídio Sales de Abreu, e sua esposa, Sylvia; dos festeiros Célio Roberto Cunha Mello e Maria Isabel da Silva Mello; dos coordenadores da Casa da Festa Márcia Andere e seu pai, Miled Cury Andere; e do padre Thiago Cosmo, assessor eclesiástico da Festa do Divino, que abençoou os mantimentos.

O coordenador da Casa da Festa e da barraca dos doces e salgados da quermesse, Miled Cury Andere, de 94 anos, explica que parte dos mantimentos provenientes das escolas foi utilizada para o preparo dos quitutes comercializados nos dias da quermesse. O saldo dos alimentos, contudo, frisa ele, vai atender a população carente do Município, em especial às entidades que não atuam na quermesse da Festa do Divino: “Eles esperam ansiosos por essa doação, e, graças a Deus, neste ano estamos doando quase uma tonelada a mais do que no ano passado. As pessoas foram bem solidárias, apesar da crise e de muitas escolas não terem participado por causa da greve dos professores das escolas públicas, mas fomos surpreendidos pela boa quantidade de arrecadação. Para essas entidades, é uma bênção, e, para nós, uma alegria muito grande”.

Esse tipo de doação por parte da Associação Pró-Festa do Divino ocorre desde 1993, ano em que Miled e sua esposa, Maria José Andere, a dona Zezé, falecida em 2010, foram festeiros. Foi nessa época, também, que os Subimpérios começaram a ser montados nos quatro cantos da Cidade. “Eu me sinto realizado poder dar continuidade a esse trabalho. No início, as doações eram poucas, mas hoje podemos ajudar mais entidades que prestam ótimos serviços para a comunidade local nos mais variados segmentos, atendendo a crianças, jovens e adultos e idosos”, comenta Miled, lembrando que as instituições beneficiadas são indicadas pela própria Associação.

Representantes de cada uma dessas entidades (veja a lista abaixo) compareceram na sede da Associação, conhecida como a Casa da Festa, para receber o kit, composto de 100 quilos de açúcar, 100 litros de óleo, 29 quilos de farinha de trigo, 15 quilos de feijão, 18 quilos de farinha de mandioca, 15 quilos de macarrão, 20 quilos de cebola e 9 unidades de leite condensado.

A presidente do Instituto Maria Mãe do Divino Amor, Marielza da Silva, foi até a Associação para receber o seu kit, algo que se repete “há muito tempo”: “Não sei precisar quando começamos a receber a doação, mas já faz anos. E isso para nós é muito bom, nos ajuda bastante. Qualquer doação é bem-vinda, mas essa é abençoada”. Marielza conta que o Instituto beneficia 700 pessoas, entre crianças e jovens, com idades que variam dos 4 meses aos 18 anos, por meio de três unidades, sendo duas creches no Botujuru e um Centro de Educação Infantil (Ceic) no Conjunto Residencial Cocuera, além de prestar serviços sócioeducativos, em que são desenvolvidas aulas de capoeira, violão, artesanato, dança, informática e artes. “Tudo o que fazemos é para tirar essas crianças da rua”, diz Marielza.

A Associação de Apoio das Crianças Carentes do Santo Ângelo presta serviços assistenciais a 155 famílias do bairro, todas devidamente cadastradas na entidade. O presidente da Associação, Melquíades de Oliveira, diz que a doação que vem da Festa do Divino é esperada com grande ansiedade: “Nós servimos sopa duas vezes por semana [terças e quintas-feiras] para cerca de 50 pessoas. Além disso, doamos roupas para essas famílias, que são carentes”.

Além dessas doações, a Associação Pró-Festa do Divino fez a entrega de 1,6 mil doces e guloseimas a quatro entidades – Creche Santana, Creche Nossa Senhora do Socorro, Núcleo Comunitário Nossa Senhora das Graças e Fundação Ana de Moura – e para as crianças que participaram da Tarde de Folguedos, na quermesse, no dia 17 de maio.

Nesta quinta-feira (4), Dia de Corpus Christi, o bispo da Diocese de Mogi das Cruzes, dom Pedro Luiz Stringhini, anuncia os casais de festeiros e capitães de mastro, que irão comandar a Festa do Divino de 2016.

Entidades beneficiadas   

1. Casa de São Vicente de Paulo
2. Casa de Maria Maranathá
3. Instituto Maria Mãe do Divino Amor
4. Comunidade São José Operário
5. Associação de Auxílio às Crianças Carentes
6. Amigos da Fraternidade
7. Comunidade São Francisco de Assis
8. Associação Madre Tereza de Jesus
9. Pastoral da Caridade Paróquia São João Batista
10. Sopa da Fraternidade
11. Grupo Quarta 100 Fome

Maria Salas
Assessoria de Imprensa da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes de 2015

 

 

 

 

 

 

Doação de Alimentos e Anúncio dos novos festeiros

03.06.15 - 8:00 | Notícias, Notícias da Associação, Notícias da Festa

Nesta quarta-feira (3), às 15 horas, a Associação Pró-Festa do Divino fará a doação do​ saldo do​s alimentos arrecadados durante a festividade, que neste ano foi realizada de 14 de maio a 24 de maio, com uma intensa programação religiosa e folclórica.

​Ao todo, 11 instituições – que não participaram da quermesse, serão beneficiadas. Duas delas, contudo, já receberam a doação dos alimentos que compõem a charola da fartura, carro que abre o cortejo da Entrada dos Palmitos. A quantidade de alimentos a serem doados serão divulgados somente na quarta-feira, haja vista que a separação dos alimentos será feita até o fim desta terça-feira (2).

Um representante de cada uma delas participará do ato, na tarde desta quarta-feira, que contará, ainda, com a presença dos festeiros e capitães de mastro da festa de 2015, respectivamente Célio Roberto Cunha Mello e Maria Isabel da Silva Mello ​e Marcelo e Sueli Braz​, e integrantes da Associação Pró-Divino​.

O padre Thiago Cosmo também estará presente na oportunidade.

O evento será realizado na sede da Associação, localizada na Avenida Francisco Rodrigues Filho, 1.132, no Mogilar.

Já na quinta-feira (4), Dia de Corpus Christi, o bispo da Diocese de Mogi das Cruzes, dom Pedro Luiz Stringhini, anuncia os casais de festeiros e capitães de mastro, que irão comandar a Festa do Divino de 2016. A divulgação dos nomes, mantida em segredo, será feita na missa das 9 horas, na Catedral de Santana.

Maria Salas
Assessoria de Imprensa da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes de 2015

 

 

 

 

Procissão de Pentecostes atrai mais de 15 mil pessoas em Mogi

26.05.15 - 10:22 | Notícias, Notícias da Festa

Foto: Natalia AMSCHINGER

Foto: Natalia AMSCHINGER

Milhares de devotos passaram sobre o tapete ornamental feito por entidades esportivas e estudantes da Cidade que levava à Catedral de Santana com cânticos e orações

O Dia de Pentecostes, último dia da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes, uma das festas máximas da Igreja Católica, conforme ressaltou o bispo diocesano de Mogi das Cruzes, dom Pedro Luiz Stringhini, durante a Santa Missa, na noite de domingo (24/05), reuniu aproximadamente 15 mil pessoas. Um grupo de 1,3 mil pessoas, entre rezadeiras, grupos de Congada, Moçambique e Marujada, Irmandades de São Benedito, jovens vestidos de arcanjos, tocheiros, devotos com suas bandeiras, festeiros, ex-festeiros, capitães de mastros, além dos atiradores do Tiro de Guerra carregando o andar do Divino, compuseram a procissão, marcada pela fé e pela reza dos sete dons e pelos belos tapetes, confeccionados por escolas das redes pública e particular, universidades, clubes, empresas e famílias mogianas, que se dedicam com devoção a esse momento da festividade.

No dia em que se celebra a descida do Espírito Santo sobre os discípulos de Cristo, a procissão realiza sete paradas em altares montados pelos fiéis que esperam a palavra do bispo diocesano. Em cada parada, um dom. E, em cada parada, uma pomba branca é solta pelas mãos do bispo, em direção aos céus. A primeira pausa foi no imóvel adornado para lembrar o dom da Sabedoria. A dona de casa Angélica Camargo, moradora da Rua Dr. Corrêa, 516, estava radiante porque o bispo a chamou pelo nome: “É a primeira vez que ele fala”. Este é o quinto ano que a residência de Angélica serviu de parada para a procissão.

O altar para o dom do Entendimento estava montado no Santuário Diocesano Senhor Bom Jesus e o do Conselho, na residência de Terezinha de Jesus da Silva Melo, no número 513 da Rua Ricardo Vilela. Neste ponto, o bispo pediu pelos enfermos. A parada para o dom da Fortaleza foi nessa mesma via, na casa de Mauro Ottoni Martins e Dina Marcatto Ottoni Martins, festeiros em 1986 e capitães de mastro no ano seguinte. Já o dom da Ciência, onde o bispo clamou pelos cientistas, foi montado na casa da família de Dirce Alabarce, também na Ricardo Vilela, 281. Nesse local, ao invés de a pomba ir para o alto, foi parar em cima da cabeça do técnico de atendimento ao cliente José Pantaleão de Jesus Filho, de 62 anos. Ele estava praticando um de seus hobbies, a fotografia, quando foi surpreendido: “Eu sempre acompanho a procissão. Foi uma emoção grande”. O sexto dom, o da Piedade, ainda na Rua Ricardo Vilela, foi na casa de Terezinha dos Santos. O relógio já marcava 17h45 quando a procissão parou na altura do número 352, na Rua Doutor Wertheimer, o calçadão, para a parada no altar Temor a Deus, o último dom. Na calçada, estava a devota Elvira Mármora, de 105 anos. Ela diz que acompanha a festa desde criança. Neste endereço, o bispo destacou que quem tem temor a Deus vive muito, assim como a dona Elvira. De lá, a procissão seguiu rumo à Catedral de Santana, onde os oito grupos folclóricos já aguardavam na frente do altar a chegada do bispo para a celebração da Santa Missa. Os representantes de cada grupo receberam as bênçãos de dom Pedro Luiz e deixaram a igreja.

Ao término da solenidade, acompanhada por cerca de 1,5 mil pessoas na igreja, e quase 200 do lado de fora – eles assistiram a missa por meio do telão -, o bispo, que a presidiu, concelebrada com os padres Thiago Cosmo e José Luis de Zayas, dos Arautos do Evangelho, e os festeiros Célio Roberto Cunha Mello e Maria Isabel da Silva Mello e capitães de mastro Marcelo e Sueli Braz, saíram da igreja e atravessaram a rua, seguindo para a Praça Coronel Almeida, onde estavam os tambores para a queima dos pedidos feitos pelos devotos, que haviam sido entregues às rezadeiras após as rezas nas residências dos fiéis. “A oração é a base de um bom trabalho, por isso vocês estão na base da Festa do Divino”, destacou o padre Thiago.

[gallery_bank type=”images” format=”thumbnail” title=”true” desc=”false” responsive=”true” display=”all” sort_by=”random” animation_effect=”” album_title=”false” album_id=”3″]

Foto: Natalia AMSCHINGER

Agradecimento

Antes de terminar a solenidade, dom Pedro agradeceu ao padre Thiago, que, de acordo com ele acompanhou esta edição da festividade, com empenho e dedicação, em um trabalho iniciado um dia após o término da festa do ano passado (2014): “Agradeço a ele, todo esse trabalho que faz em meu nome, junto à Associação Pró-Festa do Divino e à festa”. O padre Thiago, por sua vez, ressaltou o seu agradecimento a todos os colaboradores por meio do Salmo 16: “Queremos agradecer, recordando a palavra do salmista: ‘Como retribuirei ao Senhor todo o bem que Ele me fez? Elevarei o cálice da salvação, invocando o nome do Senhor’ [Sl. 1-16]. A Santa Missa é o maior agradecimento que podemos fazer, à Santíssima Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo) todo o nosso louvor e adoração”, disse o padre bastante emocionado.

Após a missa e a queima dos pedidos, o Império do Divino Espírito Santo teve as cortinas cerradas, simbolizando efetivamente o fim da Festa do Divino Espírito Santo deste ano de 2015 em Mogi das Cruzes.

Maria Salas
Assessoria de Imprensa da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes de 2015

 

 

 

Religiosidade da festa é resgatada, afirma bispo

25.05.15 - 16:49 | Notícias, Notícias da Festa

O resgate do aspecto religioso da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes foi o que mais marcou a edição da festividade neste ano. A afirmação é do bispo da Diocese de Mogi das Cruzes, dom Pedro Luiz Stringhini, que participa há três anos da festividade mogiana. Ele deixa claro, contudo, que o aspecto cultural e folclórico, é tão grandioso que não pode deixar de ser mencionado. “O aspecto festivo, o da diversão, é tão importante quanto o religioso. Tudo está junto, mas isso tudo vem complementar, como se fosse o arremate. Mas o fundamental é realmente mostrar que a Festa do Divino é uma festa religiosa, da igreja, da Diocese de Mogi das Cruzes, que está muito agradecida de poder contar com a união de tantas forças, a começar pela Imprensa, aos órgãos e espaços públicos e da Associação Pró-Festa do Divino, para a sua realização. Enfim, é uma inspiração de Deus.

Dom Pedro ressalta que a igreja fez a experiência de família na festa de ano, que teve como festeiros o casal Célio Roberto Cunha Mello e Maria Isabel da Silva Mello e como capitães de mastro Marcelo e Sueli Braz: “Foi uma experiência de amor e santidade, porque o Espírito Santo é a santidade, que vai se irradiando, por meio dos seus dons, a todos nós. O balanço da Alvorada, portanto, é extremamente positivo, mais do que isso, abençoado”.

O capitão de mastro, Marcelo Braz, acredita que ele e sua esposa, Sueli, e o casal de festeiros Célio Roberto e Maria Isabel trabalharam muito nessa questão da religiosidade. ” Nós dizemos na Igreja que o Espírito Santo assopra onde quer, e graças a Deus ele nos abençoou e estamos colhendo frutos. Fizemos um trabalho forte no sentido de dar um enfoque religioso para a festa, respeitando as partes folclórica e cultural que ela possui. Graças a Deus, acredito, pelo que vimos nas alvoradas e nas missas da novena, os devotos participaram muito”.

Para o festeiro, Célio Roberto, a devoção dos fiéis serve para alimentar a alma das pessoas e acalmar os corações dos devotos. “Todo mundo que tem Deus no coração, são pessoas boas e o mundo precisa disso para se tornar cada vez melhor. Agora imagine um mundo sem Deus, é complicado, né? Graças a Deus, o Espírito Santo foi muito generoso conosco, com os casais, conseguimos muitas ajudas, e isso nos empolgou e de tal maneira pudemos conduzir a festa que chega ao seu fim hoje [domingo], depois de nove meses de trabalho e dedicação. Nós não nos conhecíamos, acabamos nos conhecendo e posso afirmar que hoje somos uma grande família, fonte de amor e santidade”, comenta Célio, citando o tema da festa deste ano, ao mencionar o carinho que ficará entre a sua família e a dos capitães de mastro.

Igualmente emocionada, a capitã de mastro Sueli Braz Sueli enfatiza a sensação de dever cumprido: “Nós sentimos, e falo isso em nome do meu marido, Marcelo, e do Célio e da Isabel, que a nossa missão começou a ser cumprida, porque, quando a gente consegue transmitir serenidade, simplicidade, por meio de uma festa tão grandiosa que é a Festa do Divino, nós conseguimos de fato alcançar corações, fazer as pessoas refletirem, mas de uma maneira mais simples, porque Deus é simples, e a simplicidade está aí, e o nosso legado é esse, é a fé. Prova disso tudo é esse povo todo que foi às ruas, que colaborou, as pessoas que nos ajudaram, isso sim é o que prevalece e isso é o que basta. A fé não pode ser esmorecida, nós temos de ser fervorosos”. Sueli lembra, ainda, a função dela e de seu marido, como capitães de mastro, era a de guardar a fé. Todos nós, festeiros, ex-festeiros, rezadeiras, devotos, voluntários, colaboradores, todos que nos ajudaram, fomos “soldados de Deus, soldados da fé”. “Conhecer a festa pelo que se vê é uma coisa, porque a gente vê só a parte boa dela, mas nós temos as pedras no caminho para o preparo, percalços que são superados com muita oração e a força que o Espírito Santo nos dá, dia a dia, para que possamos chegar onde precisamos. Nós também temos as nossas famílias, os nossos trabalhos, nós temos as dificuldades e temos de lidar com tudo isso. Só pela força do Espírito Santo, porque humanamente nós não conseguiríamos seguir adiante. Conheci muitas pessoas queridas, que realmente Deus colocou no nosso caminho para agregar muito mais valores, valores de fé”.

Maria Salas
Assessoria de Imprensa da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes de 2015

 

 

 

Despedida | Alvorada reúne dois mil fiéis

25.05.15 - 16:47 | Notícias, Notícias da Festa

Foto: Maria Salas

Foto: Maria Salas

Devotos acompanharam em peso o último cortejo que louva o Divino Espírito Santo no amanhecer de mais um dia

O período que antecedeu o final da secular festividade religiosa e folclórica, a Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes começou às 5 horas, quando foi realizada a nona e última Alvorada da festividade. A última Alvorada foi conduzida pelo bispo diocesano, dom Pedro Luiz Stringhini, e pelo padre Thiago Cosmo da Silva, assessor eclesiástico da Festa do Divino, que estavam bastante emocionados.

A procissão do amanhecer reuniu aproximadamente duas mil pessoas, entre bebês de carrinho, de colo, crianças,jovens, adultos, idosos, em uma manhã fria, gelada. O dia demorou para clarear, como se não quisesse que ele começasse, pois se começa tem de terminar e, se termina, é chegada a hora de fechar as cortinas. O percurso também foi mais longo e neste domingo, Dia de Pentecostes, a Alvorada fez uma parada nos fundos da Igreja da Ordem Primeira do Carmo para a Cerimônia do Fogo. No local, um rito simbolizava a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos.

Para se ter uma ideia da dimensão de multidão, os fiéis chegaram “a abraçar” a Catedral de Santana e todo o seu complexo, no domingo último, conforme observou e registrou o historiador e professor Glauco Riccieli. “É como se todos estivessem agradecendo pelo café abençoado”. Riccieli participou de todas as Alvoradas, fotografando-a e eternizando esse momento de fé e devoção do evento religioso. Para ele, a Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes resume na sua essência lados que se completam: a fé e cultura.

“A religiosidade do nosso povo expressada na Alvorada é emocionante, devotos de varias idades, da cidade e do campo, todos juntos numa só profissão de fé. Devotos empunhando suas bandeiras de diversas formas e desenhos, simples mas feitos pelas mãos e o coração”, pontua. De acordo com ele, a expressão cultural remonta inúmeros elementos da tradição caipira, tropeira, portuguesa e africanos, fonte de estudo realizadas décadas atrás por grandes pesquisadores como Mario de Andrade, Claude Lévi-Strauss e Luis Câmara Cascudo. “O ponto crucial desta cultura observamos na Entrada dos Palmitos, as danças e os batuques da Congada se completa com o gemido dos carros de boi. Pensar hoje num mundo tão moderno e preservarmos esses elementos, não tem explicação, apenas entendo como resultado de fé do nosso povo mogiano. Evento único no Brasil e que devemos lutar que órgãos como a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) o reconheça como Patrimônio Cultural do Brasil e da Humanidade.

Foto: Maria Salas

Foto: Maria Salas

“Nós vemos a presença do Espírito Santo agindo em todos os aspectos. Tudo, aos poucos, foi sendo recuperado”, diz o bispo diocesano de Mogi das Cruzes, dom Pedro Luiz Stringhini, agradecido pela grande presença de devotos nas Alvoradas e nas missas da novena. Foram realizadas nove procissões, sempre às 5 horas, e ele só não participou de duas. “Nós encerramos a Alvorada, na verdade, todos emocionados de ver tanta gente, tanta participação e fé, mas principalmente uma expressão tão grande de fé e a concretização do que diz o lema da festa deste ano, ‘Família: fonte de amor e santidade'”, ressalta.

Maria Salas
Assessoria de Imprensa da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes de 2015

 

 

Dia de Pentecostes | Festa do Divino termina neste domingo com uma série de eventos

22.05.15 - 18:39 | Notícias, Notícias da Festa

“O Dia de Pentecostes é o mais importante da Festa do Divino. Neste dia celebramos a solenidade da vinda do Espírito Santo sobre os apóstolos e a virgem Maria em Jerusalém”. A afirmação é do padre Thiago Cosmo, assessor eclesiático da festa, que lembra que uma série de eventos marca o encerramento da Festa do Divino Espírito Santo, Dia de Pentecostes, neste domingo (24/05). A programação tem início logo pelas primeiras horas da manhã, às 5 horas, quando será realizada a última Alvorada. No período da tarde, às 16h30 ocorre a tradicional procissão, seguida de missa, com a celebração do bispo diocesano dom Pedro Luiz Stringhini. Na sequência, ocorre a incineração dos pedidos e o fechamento do Império do Divino. “A vinda do Espírito Santo sobre a humanidade é a confirmação do carinho e da ternura de Deus por todos, pois, o divino Espírito Santo quer santificar aqueles que, pela fé, se deixam conduzir nos caminhos da história”, frisa o padre Thiago.

Um dos pontos altos da comemoração é a procissão, em que os devotos percorrem algumas ruas centrais, partindo da Padre João, em frente à Catedral de Santana. As vias ganham um colorido especial e cheio de simbolismo, conforme explica o professor Mathias Tomasulo, há 21 anos na coordenação dos tapetes ornamentais. Segundo ele, a confecção dos tapetes  movimenta escolas das redes pública e particular, universidades, clubes, empresas e famílias mogianas, que se dedicam com devoção a esse momento da festa.

Aproximadamente, 500 voluntários são envolvidos na confecção dos tapetes, que conta com a participação de 25 grupos. Eles se dividem na elaboração de dois tipos de tapetes: quadros e passadeiras. “Neste ano, teremos 18 quadros, medindo 4 m X 8 m, e 7 passadeiras, medindo 7m (comprimento) e 2,30 m (largura). Dentre os materiais usados estão o quartzo colorido, serragem, papel amassado, tampinhas de garrafa, areia, folhagens, entre outros”, comenta Tomasulo.

São desenvolvidos dois temas, o religioso [sempre abrindo com uma igreja ou a Catedral de Santana, a Campanha da Fraternidade de 2015, logo dos festeiros e os sete dons do Espírito Santo] e o folclórico, com subtemas, como a fé, esperança e a caridade. Há, ainda, uma homenagem à Casa da Festa, sede da Associação Pró-Festa do Divino, os Subimpérios, Alvoradas, Entrada dos Palmitos, Quermesse, quadro ornamental. “Para este ano, desenvolvemos um desenho sob o tema da economia de água”, salienta.

Os trabalhos dos voluntários começam neste sábado (23/05), quando os grupos começam a riscar os desenhos nas ruas que irão receber os tapetes. No dia seguinte, no domingo, as atividades são retomadas por volta das 7 horas.

A Secretaria Municipal de Transportes esclarece que haverá interdições, a partir das 15 horas, nas vias que formam o quadrilátero no entorno da Catedral de Santana, por onde passará a procissão: ruas José Bonifácio, Doutor Corrêa, Ricardo Vilela, Doutor Deodato Wertheimer e Doutor Paulo Frontin. A Pasta orienta que os motoristas evitem a região central e utilizem a via Perimetral como alternativa, caso seja necessário cruzar a Cidade.

Maria Salas
Assessoria de Imprensa da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes de 2015

 

 

 

próxima »

^ topo

Associação Pró-Festa do Divino Espírito Santo
Av. Francisco Rodrigues Filho, 1232 • CEP 08773-380 • Mogilar • Mogi das Cruzes • SP
Telefone/Fax: (11) 4790-6835 • contato@festadodivino.org.br

Fale Conosco | Créditos | Condições de Uso