A fé expressa no tapete ornamental para Pentecostes

20.05.18 - 13:23 | Notícias

Tapete1

 

 

O colorido dos tapetes ornamentais para a passagem da Procissão de Pentecostes é um convite para a reflexão sobre vários aspectos dessa festividade religiosa e folclórica tão importante para os devotos. O coordenador desse segmento, Mathias Tomasulo, diz que as famílias gostam de apreciar a arte pintada no chão. “Elas vão ao Centro só para ver o que foi feito. Alguns param, observam e se emocionam”, diz ele, que está à frente dessa atividade há mais de 20 anos.

Os trabalhos se iniciam um dia antes, no sábado, quando os riscos de giz dão uma ideia do que vira pela frente. Mas até o meio-dia de domingo tudo deve estar pronto. Mais de 20 grupos, entre escolas, entidades e associações, famílias e empresas, estão envolvidos na confecção dos tapetes. Uma missão que envolve a participação de aproximadamente 400 pessoas. “Temos quadros e passadeiras. Os quadros refletem a festa e toda a sua religiosidade e folclore e temas ligados à Igreja. As passadeiras são mais desenhos artísticos”, diz Mathias.

O tapete é feito a partir da Rua Doutor Deodato Wertheimer (esquina com a Barão de Jaceguai) até chegar ao Largo do Rosário e descer pela Rua Doutor Paulo Frontin bem na esquina da Catedral de Sant´Ana.

Os quadros medem 8M (comprimento) x 4M (largura) e as passadeiras 7M (comprimento) e 2,30M (largura). “Da uma média de quase 500 metros de ruas enfeitadas para que a procissão passe por elas”, observa Mathias, lembrando que todos os que confeccionam a arte são voluntários.

Dentre as imagens, destaque para o logotipo deste ano dos festeiros e capitães de mastro, que é “Divino Espírito Santo, iluminai a juventude e concedei-nos vossa paz”; o tema da Campanha da Fraternidade de 2018, Fraternidade e superação da violência, tendo como lema Em Cristo somos todos irmãos (Mt 23,8); e um símbolo da Diocese de Mogi das Cruzes. Há, ainda, a representatividade dos Sete Dons, a temática do folclore (Subimpério, Alvorada e Quermesse), dentre outros.

 

Texto e foto: Maria Salas / AlexMar Assessoria de Comunicação 

Dia de Pentecostes tem procissão e missa

19.05.18 - 13:11 | Notícias

Bispo

 

Neste domingo (10/5), Dia de Pentecostes, a Igreja celebra o principal dia da Festa do Divino Espírito Santo. A Santa Missa será presidida pelo bispo diocesano de Mogi das Cruzes, Dom Pedro Luiz Stringhini, logo após à Procissão, que será realizada às 16h30 (leia mais nesta página).

O padre Diogo Shishito fala sobre esse dia tão importante para a Igreja e para a Festa do Divino: “Toda a novena, essa nossa movimentação nestes dias tem como finalidade rezar a celebração de Pentecostes. E o seu significado é o início da missão da Igreja. Ela nasce do lado aberto de Jesus na cruz quando foi perfurado e jorrou sangue e água, mas até então os apóstolos ficam com um certo receio, escondidos em Jerusalém. E depois do Dia de Pentecostes, quando eles recebem o Espírito Santo é que se tornam missionários, começam a levar o Evangelho de Jesus Cristo a outras pessoas”. Segundo ele, é graças à Pentecostes que hoje se vive toda esse momento de fé. “Tempos depois e tão distantes, nós podemos viver a nossa fé e nos colocar diante do amor e da misericórdia de Deus. Devemos, sim, louvar e bendizer ao senhor pelo envio do seu Espírito Santo, que nos concede o dom da fé, ilumina a todos nós, ilumina a nossa juventude e nos concede a sua paz”, ressalta o religioso.

 

A procissão

Neste ano, duas são as novidades na Procissão de Pentecostes, que desde 2006 está sob a coordenação de Sylvânia Grinberg. A procissão realiza sete paradas em altares montados pelos fiéis que esperam a palavra do bispo diocesano. Em cada parada, um dom. E, em cada parada, uma pomba branca é solta pelas mãos do bispo, em direção aos céus.

Há dois novos endereços na lista das casas que celebram os Sete Dons e onde o bispo diocesano faz a oração de cada um deles.

A primeira residência é o dom da Sabedoria (Rua José Bonifácio, 414). De acordo com Sylvânia, é uma homenagem que José Antônio Camargo fará para a mãe dele, Angélica, que morreu no ano passado. “Este é novo. Ele dará continuidade a essa tradição”, destaca Sylvânia.

A segunda parada será no Santuário Bom Jesus, onde o altar remete ao dom do Entendimento. O terceiro dom é o Conselho (Rua Doutor Ricardo Vilela, 575), na casa de Terezinha de Jesus Mello. O quarto dom é o da Ciência (Rua Doutor Ricardo Vilela, 432), na residência de Washington Aparecido Vieira. “Esta casa participa pela primeira neste ano”, diz a coordenadora. O dom da Fortaleza, o quinto dom, será na Rua Doutor Ricardo Vilela, 353, na casa de Daniel Grisaro Franco, neto de Ezelino Franco. “O seu Ezelino iniciou os trabalhos da Barraca do Afogado e também o do Afogado do Povo”, explica Sylvânia. O dom da Piedade será na casa de Terezinha dos Santos Bettoni, na Rua Doutor Ricardo Vilella, 241. Por fim, o Temor de Deus se mantém no prédio da Drogasil, na Rua Doutor Deodato Wertheimer. “Até o ano quem recebia os devotos era a dona Elvira Mármora, que que faleceu poucos dias depois da Festa do Divino de 2017. Agora será de responsabilidade de Mário e Gioconda, filhos do professor Niquinho”, revela Sylvânia.

Um grupo de 1 mil pessoas, entre rezadeiras, grupos de Congada, Moçambique e Marujada, Irmandades de São Benedito, Arautos do Evangelho, coroinhas da Paróquia São João Batista, anjos de promessa, jovens vestidos de arcanjos, tocheiros, devotos com suas bandeiras, festeiros, ex-festeiros, capitães de mastros, além dos atiradores do Tiro de Guerra, compõem a procissão, que espera ser vista por cerca de 15 mil pessoas.

Após a Santa Missa, todos seguem em direção ao Império, na Praça Coronel Benedito Almeida, para a incineração dos pedidos dos devotos feitos ao longo do ano e entregue nas caixas de pedidos das rezadeiras. Depois, se fecham as cortinas do Império e o mastro é retirado para o término de mais uma Festa do Divino.

 

Texto e foto: Maria Salas / AlexMar Assessoria de Comunicação 

Missa Campal terá celebração de padre Wally Soares

18.05.18 - 18:30 | Notícias

O sábado está bem movimentando na Quermesse da Festa do Divino. Além da parte social, há a celebração da Missa Campal, a partir das 15 horas. Quem preside a Santa Missa é o padre Wally Soares Silva, da Paróquia São Judas Tadeu, de Suzano. Os festeiros  Wilamis Roberto Chaudar Santana e Sandra Alves de Siqueira Chaudar Santana e os capitães de mastro  Mauro de Assis Margarido e Cícera Alecxandra de Oliveira Margarido participam da solenidade.

Ainda na Quermesse, há uma programação de shows no palco, a partir das 18h30. Neste sábado (19/5), as atrações prosseguem com o show da Banda Sudarium, banda de rock cristã que tem como o propósito levar a mensagem de Deus por meio da música. Às 19h45 é a vez da Companhia de Dança Nashville Country se apresentar com a participação especial na coreografia e no show do cantor e compositor Luigi Di Santo Júnior. A noite terá, ainda, o show da dupla Renan & Juliana e Banda.

No domingo (20/5), último dia da Festa do Divino, a programação fica por conta das seguintes apresentações: às 18 horas, a Banda Nossa Senhora de Fátima promete um concerto emocionante. Por volta de 19h30, Douglas Mauro e Banda agita a Quermesse.

A Festa do Divino termina neste domingo com a realização da última Alvorada, às 5 horas, com a Procissão de Pentecostes, às 16h30, seguida da Santa Missa, na Catedral de Sant´Ana, às 19h30, da incineração dos pedidos e o fechamento do Império, na Praça Coronel Benedito de Almeida.

 

Texto: Maria Salas / AlexMar Assessoria de Comunicação 

Entrada dos Palmitos espera público de 50 mil pessoas

18.05.18 - 18:29 | Notícias

Palmito

 

 

Um evento único, com características próprias e muito aguardado na Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes, a Entrada dos Palmitos ocorre neste sábado (19/5), a partir das 9 horas, com expectativa de público dos organizadores de 50 mil pessoas. Depois, é servido o Afogado do Povo, gratuitamente, na área da Quermesse, no Centro Municipal Integrado (CMI) “Deputado Maurício Nagib Najar”, no Mogilar.

A concentração dos participantes da Entrada dos Palmitos está prevista para às 8 horas, em frente à Capela de Santa Cruz, na Rua Doutor Ricardo Vilela, na altura do número 1.200. À frente da coordenação do evento folclórico está Glauco Ricciele, que pela primeira vez assume esta função, apesar de já participar da Festa do Divino há 15 anos. “A ansiedade é grande para este momento, um dos mais aguardado da parte folclórica, mas estamos preparados para mais este evento grandioso. Da estimativa de público esperado, 10 mil são os que participam do cortejo e 40 mil é o que assiste”, diz Glauco, lembrando que a Entrada dos Palmitos remonta das épocas antigas o clamor do povo em agradecer a Deus pelas boas colheitas. “Eles ofertavam o melhor dos frutos, na época, os palmitos. Daí vem a cerimônia, que a Festa do Divino de Mogi preserva para manter essas raízes. A charola, que abre o cortejo, expressa a fartura”.

Preservar essa identidade é um dos desafios do coordenador. Para tanto, já existe um trabalho para que a Entrada dos Palmitos seja reconhecida como patrimônio imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e que seja reconhecido pela Unesco. “Estamos lutando para que este trabalho permaneça por muitas gerações”, defende Glauco.

 

O cortejo

Os devotos irão descer a rua Doutor Ricardo Vilela e percorrer as seguintes ruas: Doutor Deodato Wertheimer e Doutor Paulo Frontin até chegar à Catedral de Sant´Ana.

Participarão do cortejo 23 carros de bois, o que dá em média 80 bois. De Mogi das Cruzes, há apenas um, o da dona Albertina Maria Ferreira, moradora da Serra do Itapeti. Os demais são de cidades como Arujá, Santa Isabel, Salesópolis, Santa Branca, Igaratá e Nazaré. De cavalos, são aproximadamente 600, com charretes. “E já temos uma lista de contatos com outros locais de pessoas interessadas em participar, ou seja, para o próximo ano a ideia é aumentar o número de participantes e demonstrar que essa prática não acaba e se preserva”, sintetiza o coordenador, que emenda: “São 15 anos de trabalho na Festa do Divino por meio da fé, dedicação e voluntariado para auxiliar na manutenção da festa e na tradição”.

 

Grupos folclóricos na Entrada dos Palmitos

 

  1. Congada de Santa Efigênia
  2. Congada Batalhão Nossa Senhora Aparecida
  3. Moçambique Capela de Santa Cruz
  4. Congada Divino Espírito Santo
  5. Congada São Benedito do Conjunto Santo Ângelo
  6. Congada São Benedito Coração de César
  7. Congada Marujada Nossa Senhora do Rosário
  8. Moçambique São Benedito / S.B.Jesus / Nossa Senhora Rosário

 

Texto e foto: Maria Salas / AlexMar Assessoria de Comunicação 

Afogado do Povo é servido gratuitamente na Quermesse

18.05.18 - 18:24 | Notícias

Afogado do Povo

Afogado do Povo

Como manda a tradição, depois da Entrada dos Palmitos é servido o Afogado do Povo, na Quermesse, instalada no Centro Municipal Integrado (CMI) “Deputado Maurício Nagib Najar”, no Mogilar. A expectativa da coordenação é que sejam servidos cinco mil pratos à população, que forma fila para saborear uma das iguarias mais procuradas na Festa do Divino.

O preparo do afogado se iniciou nesta sexta-feira (18/5), por volta de 19 horas, de acordo com o coordenador do setor, André Marcondes. “Eu mesmo começo a preparação às 14 horas, mas o grosso do trabalho mesmo é mais à noite e se estende até o sábado para aprontar todas as panelas”, comenta André, que é voluntário da Barraca do Afogado há 27 anos.

Ao todo, entre fazer e servir, ele conta com um grupo de cem voluntários.

Os alimentos utilizados para a confecção dessa iguaria são: 1 mil quilos de carne, 50 sacos de batata, 20 sacos de cebola, 70 pés de salsão e outros ingredientes (sempre em grande quantidade).

André é filho do ex-festeiro Paulo Marcondes, que comandou a festividade religiosa e folclórica em 1974, com a esposa, Leila Maria Marcondes de Carvalho. A distribuição do Afogado do Povo teve início na década de 1980. “As pessoas confiam muito nesse alimento, que chega a ser considerado bento por eles. Elas buscam conforto espiritual e acreditam muito na graça divina. A devoção é muito grande”, define André.

Os devotos não precisam levar pratos para serem servidos.

 

Texto e fotos: Maria Salas / AlexMar Assessoria de Comunicação 

Museu e capela do Divino têm horário especial

17.05.18 - 18:19 | Notícias

Mostra na Capela do Divino

Mostra na Capela do Divino

Até o fim da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes, no dia 20 de maio, o Museu do Divino “Professora Amália Thereza Manna de Deus” e a Capela do Divino, os dois localizados atrás da Catedral de Sant´Ana, abrem em horários especiais para receber os devotos, sempre a partir das 5 horas. Nesta sexta-feira (18/5), o horário de funcionamento será até às 10 horas. No sábado (19/5), a visitação será até às 22 horas e no domingo (20) até às 16 horas. Muitas foram as novidades preparadas para o Museu pelos zeladores do espaço, Fábio Santana e Lilian Melo, que também tiveram a ideia de ocupar a Capela com fotografias que retratam vários momentos da Festa do Divino, como A Alvorada, o Império, a Casa da Festa e a Entrada dos Palmitos. São as mesmas obras já expostas no Revelando São Paulo, realizado no fim de novembro e comecinho de dezembro, na Capital. As 24 imagens que integram a mostra são do acervo pessoal de Glauco Ricciele, que também fez os textos das fotos, Doralice Santos e Lilian Melo. As fotos foram divididas em 12 totens.

No Museu, onde também há um espaço para a lojinha com peças das mais variadas sobre o Divino, além do subimpério com a temática da festividade “Divino Espírito Santo, iluminai a juventude e concedei-nos vossa paz”, há um painel onde os devotos podem amarrar fitinhas com as cores dos Sete dons do Divino e fazer o seu pedido. A ideia do zelador do Museu, Fábio, é preenchê-lo por completo. “Esse painel vai ficar no espaço permanentemente, então, o devoto que passar por aqui vai poder amarrar a sua fita e fazer o pedido ao Espírito Santo”, diz Fábio.

A fachada do espaço ganhou uma faixa maior, neste ano.

A Festa do Divino prossegue até o dia 20 de maio.

O Museu do Divino está localizado na Rua Paulo Frontim, 400, ao lado da Capela doDivino, no Centro de Mogi das Cruzes. A entrada é gratuita.

Painel de pedidos

Painel de pedidos

 

Texto: Maria Salas / AlexMar Assessoria de Comunicação 

 

Último fim de semana da Festa do Divino tem programação variada

17.05.18 - 18:14 | Notícias

20180515_205630

A Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes 2018 vai se aproximando do fim, mas ainda há muita programação religiosa e folclórica até este domingo (20/5), Dia de Pentecostes.

As manhãs começam com as Alvoradas. Ainda faltam três trajetos a serem feitos, e o último é o que passa nos fundos da Igreja da Ordem Primeira do Carmo para a Cerimônia do Fogo. No local, um rito simboliza a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos. Ainda nesta sexta-feira (18/5), os festeiros Wilamis Roberto Chaudar Santana e Sandra Alves de Siqueira Chaudar Santana e os capitães de mastro Mauro de Assis Margarido e Cícera Alecxandra de Oliveira Margarido fazem a última “Visita das Bandeiras”, desta vez ao Instituto Pró+Vida São Sebastião.

Além disso, há mais duas missas da novena preparatória a serem celebradas, a partir das 19h30, na Catedral de Sant´Ana, seguidas das Passeatas das Bandeiras. A desta sexta-feira (18/5) será presidida pelo padre Antônio Carlos Alves de Menezes, o padre Tonhão, da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, de Salesópolis. E no sábado (19/5) pelo frei Vasco Croccoli, da Paróquia São Maximiliano Maria Kolbe, da Vila Lavínia.

Já no sábado (20/5) ocorre o tradicional cortejo que expressa o clamor do povo em agradecer as boas colheitas, a Entrada dos Palmitos. Prevista para ocorrer a partir das 9 horas, a organização pede que os participantes da procissão se concentrem a partir das 8 horas, em frente à Capela de Santa Cruz, localizada na Rua Doutor Ricardo Vilela, na altura do número 1.200. O cortejo desce a rua Doutor Ricardo Vilela e percorre as ruas Doutor Deodato Wertheimer e Doutor Paulo Frontin até chegar à Catedral de Sant´Ana. Depois, na área da Quermesse no Centro Municipal Integrado (CMI) “Deputado Maurício Nagib Najar”, com acesso pela Avenida Cívica, é servido gratuitamente o Afogado do Povo. Ainda na Quermesse, a partir das 15 horas, ocorrerá a Missa Campa, com celebração do padre Wally Soares Silva, da Paróquia São Judas Tadeu, de Suzano. E no palco, a partir das 18h30, shows variados.

Por fim, no domingo (20/5), último dia da Festa do Divino, é realizada a Cerimônia de Pentecostes, a partir das 16h30. Na sequência, o bispo diocesano, Dom Pedro Luiz Stringhini, preside a Santa Missa. Ao fim da celebração, todos seguem em direção ao Império, na Praça Coronel Benedito de Almeida, para a incineração dos pedidos e fechamento do Império.     

Texto e fotos: Maria Salas / AlexMar Assessoria de Comunicação 

Shows agitam a Quermesse da Festa do Divino

17.05.18 - 16:56 | Notícias

Arnaldo_Freitas / Foto: Rogério Suriani

A programação de shows gratuitos na Quermesse está bem especial neste fim de semana. Nesta sexta-feira (18/5), o cantor João Vitor Mafra, sucesso do programa The Voice Kids, sobe ao palco com a banda, a partir das 20 horas. Já às 21h30, a atração é Arnaldo Freitas Trio. O compositor e instrumentista de viola caipira, de técnica apurada e interpretação emocionante, é considerado um dos principais violeiros da nova safra da música instrumental brasileira. O instrumentista é influenciado por Tião Carreiro, Bambico e Renato Andrade (da música caipira brasileira) e pelos diferentes universos das cordas de Paco de Lucia, Andrés Segovia, Raphael Rabelo, Dilermando Reis, Juanjo Dominguez e Yamandu Costa. Uma oportunidade para o público desfrutar momentos carregados de técnica e emoção. No repertório, clássicos caipiras, brasileiros e internacionais, além das peças autorais de Arnaldo Freitas.

“A realização deste show é do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Cultura, com apoio da Associação Paulista dos Amigos da Arte (APAA)”, explica o coordenador dos shows da Quermesse e da Divina Rádio, Gérson Barros. E quem comanda o cerimonial de apresentação é José Reinaldo Santos.

No sábado, a partir das 18h30, as atrações prosseguem com o show da Banda Sudarium, banda de rock cristã que tem como o propósito levar a mensagem de Deus por meio da música. Às 19h45 é a vez da Companhia  de Dança Nashville Country se apresentar com a participação especial na coreografia e no show do cantor e compositor Luigi Di Santo Júnior. A noite terá, ainda, o show da dupla Renan & Juliana e Banda.

No domingo (20/5), último dia da Festa do Divino, a programação fica por conta das seguintes apresentações: às 18 horas, a Banda Nossa Senhora de Fátima promete um concerto emocionante. Por volta de 19h30, Douglas Mauro e Banda agita a Quermesse.  

A área da Quermesse é composta de estandes de patrocinadores / expositores; palco; estandes para a comercialização de artigos religiosos; tenda cultural; Divina Rádio, bingo e caixa central, base da Polícia Militar, coordenação e posto de saúde. As barracas de 27 entidades e paróquias, que possuem projetos beneficentes, integram a Quermesse na parte de alimentação e bebida, onde são comercializados os quitutes como o churrasco de linguiça, o churrasco grego, pastel, dentre outros, ou as saborosas frutas do amor que o público tanto gosta, além dos doces e salgados típicos e o afogado e caldos. Além de toda essa estrutura, há duas áreas destinadas para a diversão da criançada no parquinho.

A entrada para a Quermesse é gratuita. O acesso é pela Avenida Cívica. Para quem for de carro, há estacionamento, com valor de R$ 14,00. O local conta também com uma saída de emergência pela Avenida Professor Carlos Ferreira Lopes.

IMG-20180303-WA0014

Texto: Maria Salas / AlexMar Assessoria de Comunicação 

Devotos deixam os seus pedidos no Império do Divino

16.05.18 - 18:11 | Notícias

Divino 1

Um dos locais mais visitados pelos devotos durante a Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes é o Império, que até esta quarta-feira já tinha recebido mais de sete mil pessoas. O local abre às 4h30 e fecha às 23 horas, todos os dias. No ano passado, segundo a coordenadora das rezadeiras, Aparecida Marlene Miguel de Barros, a ‘Cida’,cerca de 20 mil passaram pelo Império. “Isso é o que temos registrado no livro de 2017, mas acredito que seja até mais, porque há muitas pessoas que não o assinam, como crianças não alfabetizadas e idosos”, salienta Cida. Segundo ela, a maioria entra no local para pedir as bênçãos do Espírito Santo ou agradecer graças alcançadas.

No Império, instalado na Praça Coronel Benedito de Almeida, no Centro, todos os dias são realizadas as rezas da Coroa do Divino. Ao todo, são seis rezas: às 7h, 9h, 12h, 15h, 18h e 21h. Para que tudo dê certo, a tarefa é dividida pelo grupo de grupo de rezadeiras e rezadores, algo em torno de 210 pessoas. Na saída, além de assinar o livro de registro de presença, o devoto pode depositar o seu pedido na urna. No último dia da festa, no dia 20, após a Missa de Pentecostes, todos eles serão incinerados.  

O Império é um dos pontos principais da Festa do Divino. O espaço é ponto de partida para que festeiros e capitães de mastro façam as suas orações antes de iniciar a caminhada pelas ruas do centro na Alvorada. É lá também onde são guardadas as Bandeiras de festeiros e capitães de mastro e devotos e as lanternas que iluminam o caminho logo de manhã e à noite, na Passeata das Bandeiras. “É aqui onde iniciamos e terminamos a nossa missão diária. É onde fortalecemos a nossa fé por meio das orações, pela manhã com o bispo diocesano, dom Pedro Luiz Stringhini, e à noite, com o padre Diogo Shishito, que está ao nosso lado todas as noites”, comenta a festeira Sandra Chaudar Santana.

O fechamento do Império, no último dia da Festa do Divino, marca também o fim de mais uma festividade religiosa e folclórica.

A Festa do Divino prossegue até o dia 20 de maio, sob o tema “Divino Espírito Santo, iluminai a juventude e concedei-nos vossa paz”.

 

 

Império do Divino

Plantões

Das 5 às 8 horas

Das 8 às 11 horas

Das 11 às 14 horas

Das 14 às 17 horas

Das 17 às 20 horas

Das 20 às 23 horas

 

Rezas: às 7h, 9h, 12h, 15h, 18h e 21h

Texto e foto: Maria Salas / AlexMar Assessoria de Comunicação 

Bandeiras do Divino percorrem alas e departamentos do Hospital Santana

16.05.18 - 18:07 | Notícias

 

Hospital Santana

Cânticos, orações, a Coroa do Divino e muita emoção. Estes ingredientes de amor e fé marcaram a “Visita das Bandeiras” da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes, na tarde desta quarta-feira (16/5), ao Hospital Santana, no Alto do Ipiranga, em Mogi. A festeira Sandra Alves de Siqueira Chaudar Santana, a capitã de mastro Cícera Alexcsandra de Oliveira Margarido e o padre Diogo Shishito, assessor eclesiástico da Festa do Divino, representando a festividade religiosa foram recepcionadas pelo gestor executivo da unidade hospitalar, Ruy Sergio Hernandes, por voluntários da Pastoral da Esperança, funcionários e devotos, que percorreram as principais alas do hospital levando um pouco de conforto às pessoas hospitalizadas e seus familiares.

Atuando no Santana há quatro anos, Ruy Hernandes fala da emoção que é poder vivenciar por mais um ano este momento. “Aqui já é uma tradição montarmos o subimpério e é uma honra para a direção do Santana receber os festeiros e capitães de mastro no hospital. Eu sou de São Paulo e, até antes de vir trabalhar aqui, eu não tinha ideia da amplitude da festa. Mas estar aqui é sentir de perto a emoção que ela proporciona às pessoas. As pessoas que aqui estão internados precisam muito desse conforto e esta visita é muito importante para todos eles”, destaca.

O padre Diogo, por sua vez, lembra que o conceito de saúde está muito ligado ao conceito de salvação. Segundo ele, os dois vêm da mesma palavra: “Do latim, salus e salute. Salvação é a saúde da alma e saúde é o bem-estar do corpo. As duas coisas de fato caminham juntas, e sabemos até que há estudos que mostram que a pessoa que tem fé é capaz de enfrentar  a enfermidade com muito mais rigor e até se recuperar”.   

Depois de percorrerem todas as instalações do hospital, os agradecimentos finais da acolhida foram feitos por funcionários do Santana na capela de nome Santana, o mesmo do hospital e o da padroeira de Mogi das Cruzes.

Nesta quinta-feira (17/5), festeiros e capitães de mastro visitam, às 9 horas, a Creche Sant’Ana e em seguida a Casa São Vicente de Paulo. As visitas terminam na sexta-feira (18/5), no Instituto Pró+Vida São Sebastião.

Hospital Santana1

Texto e fotos: Maria Salas / AlexMar Assessoria de Comunicação 

 

próxima »

^ topo

Associação Pró-Festa do Divino Espírito Santo
Av. Francisco Rodrigues Filho, 1232 • CEP 08773-380 • Mogilar • Mogi das Cruzes • SP
Telefone/Fax: (11) 4790-6835 • contato@festadodivino.org.br

Fale Conosco | Créditos | Condições de Uso